Gestão de capitais

Capital natural

GESTÃO AMBIENTAL

Garantir a preservação ambiental na realização de suas atividades faz parte do posicionamento da MAPFRE Brasil. Para isso, a Empresa conta com uma Política de Gestão Ambiental que apresenta diretrizes sobre o uso sustentável e eficiente dos recursos naturais e o comprometimento com a qualidade e a excelência da gestão ambiental em suas atividades.

Em 2017, os recursos destinados às ações corporativas de mitigação de impacto ambiental totalizaram mais de R$ 1 milhão. O montante foi aplicado em atividades relacionadas a gestão de resíduos, certificações (LEED, ISO14001, GHG PROTOCOL), auditoria ambiental em fornecedores (logística reversa e pátio de salvados), campanhas de engajamento e formações via Academia de Sustentabilidade para os públicos interno e externo em temas relacionados a gestão ambiental. Nos últimos três anos, o montante investido no pilar ambiental ultrapassou R$ 2,6 milhões.

ISO

Para garantir a recertificação da ISO 14001 em 2017, a MAPFRE Brasil investiu em uma série de ajustes como a melhoria contínua de processos, estabelecimento de novas metas e indicadores ambientais para as áreas, reforço dos treinamentos relacionados ao tema para os colaboradores e prestadores de serviços. Entre as ações promovidas nesse sentido, destacam-se:

  • Curso de Gestão Ambiental e-learning torna-se obrigatório.

  • Adesão de aproximadamente 80% dos prestadores de serviços fixos na sede do GRUPO em treinamentos sobre o SGA.

  • Estabelecimento de metas de redução do uso de recursos naturais (água e energia), que promoveram uma redução de 4,5% no consumo de água na sede do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE nos últimos 12 meses, devido à implantação de ações de ecoeficiência.

  • Automatização de sistemas de atualização de legislações pertinentes às suas atividades e aquisição de sistemas de gestão de fornecedores críticos para o SGA.

  • Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos e implantação das ações pertinentes com intensa participação dos gestores, garantindo compliance ambiental.

  • Fortalecimento dos canais de comunicação com os públicos interno e externo, contribuindo com informações para a conscientização ambiental.

CERTIFICAÇÃO LEED

A sede do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE está localizada em um edifício sustentável construído de acordo com as técnicas estabelecidas pelo U.S. Green Building Council, instituição internacional que coordena a certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) um selo internacional ambiental que atesta critérios de ecoeficiência no uso de recursos naturais, rastreabilidade da cadeia na compra de mobiliário, garantia de qualidade do ar e luminosidade para os colaboradores, gestão de resíduos e outros temas.

Em decorrência da adequação do projeto de interiores das instalações, que segue critérios de sustentabilidade reconhecidos mundialmente, o GRUPO conquistou a certificação LEED GOLD, garantindo que a sede atende a uma série de critérios de sustentabilidade reconhecidos mundialmente.

Como resultado das ações implantadas no projeto, a Companhia atingiu níveis de consumo de água e energia dentro dos padrões de edifícios eficientes.

FORMAÇÃO

Durante o ano, mais de 200 profissionais, entre colaboradores, parceiros de negócios e fornecedores, participaram de capacitações da Academia de Sustentabilidade sobre temas técnicos ambientais como ISO14001, homologação ambiental, oficinas de funilaria e pintura sustentáveis, treinamento em sustentabilidade para peritos agrícola. Outros 500 colaboradores integraram a atividade “Crescer de forma sustentável”, desenvolvida pelas áreas de RH e Sustentabilidade, com o objetivo de fortalecer o posicionamento estratégico para sustentabilidade e aumentar a aderência dos colaboradores à realidade de riscos e oportunidades socioambientais.

Além disso, em 2017 o curso e-learning de Gestão Ambiental tornou-se obrigatório para os colaboradores da sede, como forma de promover a conscientização ambiental e o cumprimento da norma ISO14001. No total, mais de 2 mil colaboradores participaram do curso durante o ano, totalizando aproximadamente 3,2 mil colaboradores desde 2014.

ORIENTAÇÃO AOS PARCEIROS DE NEGÓCIO

Para fortalecer a importância das questões ambientais entre colaboradores e parceiros, foram lançados em 2017 dois materiais com esse enfoque.

  • O Manual de Orientação sobre Gestão de Resíduos, desenvolvido em parceria com a DG Rural e Habitacional, apresenta o conceito de resíduos, além de trazer orientações básicas que devem ser adotadas para minimizar os danos ambientais decorrentes da gestão de resíduos gerados em sinistros rurais, com enfoque em benfeitorias, máquinas e culturas. Aproximadamente 40 prestadores de serviços da unidade receberam o Manual, que também está disponível na intranet para todos os colaboradores.

  • Em parceria com a área de Suprimentos, foi desenvolvido e lançado o Manual de Orientação sobre Homologação Ambiental, que apresenta os requisitos ambientais mínimos necessários para homologação de fornecedores responsáveis pelo transporte e gestão de resíduos resultantes dos sinistros. No total, 16 colaboradores das Unidades de Negócio e da área de Suprimentos participaram de uma capacitação sobre o Manual, que passará a integrar a norma de homologação da Empresa.

EMISSÕES

Em 2017, foi publicado mais uma vez o inventário de Gases do Efeito Estufa (GEE) - GHG Protocol referente às emissões do ano anterior. Desde 2013, a Empresa participa do Programa Brasileiro GHG Protocol e registra publicamente suas emissões de GEE, garantindo transparência sobre informações relevantes para a sociedade e fortalecendo sua atuação em relação ao meio ambiente. O inventário publicado em 2017 foi classificado como categoria prata. As emissões divulgadas referem-se ao ano de 2016 (e já estão publicadas no Registro Público/FGV). As emissões relativas ao período de 2017 serão publicadas no próximo exercício.

Emissões da GEE (tCO2eq) 2014 2015 2016
Escopo¹ 2.947,76 2.578,93 1.818,60
Escopo² 549,45 1.030,96 369,16
Escopo³ 50.215,69 26.517,23 2.263,92
Total de emissões 53.739,90 30.127,12 4.478,68

1 Uso de gerador e combustível para frota própria.

2 Compra de energia de concessionária.

3 Viagens áreas, deslocamentos de táxi, motoboys e guinchos, geração de resíduos.

RECURSOS NATURAIS

Em 2017, o consumo de energia elétrica da MAPFRE Brasil, proveniente de concessionária, totalizou 9.562 GJ. O montante representa uma redução de 35% em relação ao ano anterior, em decorrência da adoção de ações de ecoeficiência e redução do número de unidades. Já o consumo total de água, proveniente de empresas de abastecimento público, foi de 40.078 m3 no ano, o que, por sua vez, significa um incremento de 39,5% em comparação a 2016. Esse resultado é explicado pelas trocas de unidades, obras e algumas ocorrências de vazamento ao longo do ano.

  Consumo de energia elétrica (GJ) Consumo de água (m3)
2015 32.701 48.499
2016 15.098 28.723
2017 9.562 40.078

RESÍDUOS

As 200,7 toneladas de resíduos gerados e monitorados pelas unidades e cadeia de valor da MAPFRE Brasil em 2017 dividiam-se em:

  • 120 toneladas – resíduos orgânicos corporativos encaminhados para aterro.

  • 128 toneladas – sucatas metálicas e descarte de veículos enviados para reciclagem via Pátio de Caçapava.

  • 45 toneladas – coleta seletiva

  • 31 toneladas – eletroeletrônicos mapeados via programa Troca Certa.

Destinação de resíduos (t)
Não-perigosos¹ 192,1
Perigosos² 8,6
TOTAL 200,7

1 Reciclagem: materiais da coleta seletiva e sucata metálica do Pátio de Caçapava. Envio para aterro: orgânicos.

2 Reciclagem: pilhas e baterias, tonners e cartuchos de tinta, lâmpadas, eletrônicos corporativos e provenientes do Troca Certa. Descontaminação e envio para aterro: infectantes de ambulatório.

COLETA SELETIVA

Em 2017, foi realizada uma pesquisa com os colaboradores para identificar pontos críticos relacionados à coleta seletiva. Com base nas respostas levantadas, foram estabelecidas ações de sensibilização e comprometimento de colaboradores, visitantes e prestadores de serviços.

Além disso, foi elaborado o PGRS (Plano de Gestão de Resíduos Sólidos) da Empresa e, consequentemente, houve adequação de alguns processos relacionados ao tema:

  • 100% do resíduo infectante gerado passaram a ser coletados e destinados via convênio com a Prefeitura Municipal de São Paulo.

  • Reciclagem de 5.252 kg de resíduos eletroeletrônicos corporativos e 2.961,6 kg de tonners e cartuchos por meio de projeto de logística reversa com o outsourcing de impressão.

  • Implantação do sistema de gestão de resíduos de sólidos contaminados da área de Manutenção e realização de contrato com fornecedor responsável pelo tratamento e destinação

  • Implantação das Centrais de Resíduos Perigosos e Central de Resíduos Infectante.

A Empresa conta ainda com um projeto de coleta e destinação final ambientalmente adequada para resíduos de pilhas e baterias em todas as suas 128 unidades. Em 2017, foram recolhidos e tratados cerca de 235kg de pilhas e baterias. Todos os documentos de rastreabilidade da coleta e destinação do resíduo e licenças ambientais dos fornecedores utilizados são controlados pela área de Sustentabilidade.

LOGÍSTICA REVERSA

O projeto de logística reversa, realizado em parceria pelas áreas de Sustentabilidade e Massificados, teve continuidade em 2017, garantindo a correta destinação de eletroeletrônicos segurados com garantia estendida/troca certa. Ao longo do ano, mais de 31 toneladas de eletroeletrônicos foram enviadas à reciclagem. Desde o início do projeto, em 2015, mais de 86 toneladas já foram destinadas de forma ambientalmente correta, sendo aproximadamente 30% sucatas de ferro, 30% de plástico, entre outros materiais.

Para garantir a excelência do processo foram promovidos dois encontros de orientação e treinamento com o fornecedor, com o objetivo de promover a melhoria contínua dos processos na cadeia de valor, além da realização de uma auditoria in loco, como parte do processo de mitigação de riscos, que registrou 29% de redução no número de não-conformidades.

Para 2018, a Empresa estudará outras formas de mitigação de riscos ambientais em processos de gestão de salvados, com possível expansão do processo de logística reversa.

Logística reversa de eletroeletrônicos com garantia estendida (t)
2015 19,6
2016 35,6
2017 31,2
TOTAL 86,4
topo